Conecte-se conosco

Notícias

Céline Dion está ‘rezando por um milagre’ em luta contra síndrome, revela familiar

Publicado

em

Céline Dion (Foto: reprodução)
Céline Dion (Foto: reprodução)

Céline Dion foi diagnostica com a rara Síndrome da Pessoa Rígida, que segundo especialistas afeta uma ou duas pessoas em cada milhão e seus efeitos é rigidez muscular e espasmos

Colaboração: Cláudio Oliveira.

A cantora Céline Dion de 55 anos está “rezando por um milagre”, revelou Claudette Dion, irmã da cantora. A artista foi diagnosticada com a rara Síndrome da Pessoa Rígida em 2022 e está lutando para encontrar remédios que funcionem. As informações são da revista Hello! Canada.

A síndrome da pessoa rígida é uma condição neurológica rara, que afeta uma ou duas pessoas em cada milhão e é caracterizada por rigidez muscular e espasmos. Apesar de não ter cura, há possibilidades de tratamento, que são limitadas e variam de pessoa para pessoa. “Há pouco que possamos fazer para apoiá-la, para aliviar sua dor”, contou Claudette.

“É uma doença sobre a qual sabemos tão pouco”, admite Claudette. “Existem espasmos – são impossíveis de controlar. Você sabe quem costuma pular durante a noite por causa de uma cãibra na perna ou na panturrilha? É um pouco assim, mas em todos os músculos”.

Após revelar seu diagnóstico, Céline cancelou todos os shows até 2024 e passou a morar com outra irmã, Linda, ficando sob os cuidados da família. Ela é mãe de René-Charles, hoje com 22 anos

“É reconfortante para todos nós (tê-los perto de Celine)”, ressaltou Claudette.

Apesar das notícias frustrantes, a irmã da cantora não perde a esperança. “Estamos cruzando os dedos para que os pesquisadores encontrem um remédio para esta doença terrível”, disse.

 

Afinal, o que é a síndrome da pessoa rígida?

 

A síndrome da pessoa rígida causa rigidez muscular que piora gradualmente.
  • A síndrome da pessoa rígida ocorre frequentemente em pessoas com diabetes tipo 1, certas doenças autoimunes ou certos tipos de câncer.

  • Os músculos se tornam cada vez mais rígidos e aumentam de tamanho, começando no tronco e no abdômen, mas posteriormente afetando os músculos do corpo todo.

  • Os médicos suspeitam de síndrome da pessoa rígida com base nos sintomas, mas usam eletromiografia e exames de sangue para ajudar a confirmar o diagnóstico.

  • O tratamento é focado no alívio dos sintomas e pode incluir diazepam (um sedativo), baclofeno (um relaxante muscular), corticosteroides e, às vezes, rituximabe ou plasmaférese.

A síndrome da pessoa rígida (antes conhecida como síndrome do homem rígido) afeta principalmente o cérebro e a medula espinhal (o sistema nervoso central), mas causa sintomas semelhantes aos de algumas doenças nervosas periféricas.

A síndrome da pessoa rígida é mais comum entre mulheres e muitas vezes ocorre em pessoas com diabetes tipo 1, certas doenças autoimunes (como tireoidite), ou certos tipos de câncer, incluindo câncer de mama (mais comumente), câncer de pulmão, câncer renal, câncer de tireoide, câncer de cólon e linfoma de Hodgkin.

A causa da síndrome da pessoa rígida pode ser uma reação autoimune − quando o corpo produz anticorpos que atacam seus próprios tecidos. Na síndrome da pessoa rígida, esses anticorpos atacam as células nervosas na medula espinhal que controla os movimentos musculares. A maioria dos indivíduos com síndrome da pessoa rígida possui anticorpos que atacam uma enzima denominada descarboxilase do ácido glutâmico. Esta enzima está envolvida na produção de um mensageiro químico (neurotransmissor) que ajuda a prevenir os nervos de superestimularem os músculos. Quando essa enzima é produzida em menor quantidade, os nervos superestimulam os músculos, que ficam tensos e rígidos.

Às vezes, a causa da síndrome da pessoa rígida é desconhecida.

Fonte: MSD.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *